Antifrágil: Como essa lógica pode te ajudar a enfrentar desafios

Qual empresa nunca passou por um momento de adversidade? Uma retração de mercado? Ou crise financeira? Todos sabemos que isso é imprevisível, qualquer empresa já sofreu ou irá sofrer o impacto de uma adversidade mercadologica, seja ela qual for.

Problemas são inevitáveis, os empresários precisam estar preparados para toda e qualquer tipo de situação que possa chegar, seja um problema interno ou crise financeira. Mas o que muitos não sabem, é que enfrentar esses problemas de frente, podem trazer benefícios. E é este conceito que queremos apresentar neste texto.

Um conceito criado pelo professor da Universidade de Nova York, Nassim Nicholas Taleb esclarece que, passar por dificuldades pode nos tornar mais fortes, e que podemos aprender com as crises, e nos prepararmos para superar problemas maiores.

Continue lendo para saber mais sobre essa lógica e como ela beneficia tanto você quanto aos seus empreendimentos.

O que é Antifrágil?

O também autor de A Lógica dos Cisnes Negros, explica que algo antifrágil é aquilo que, ao passar por situações adversas, na pior das hipóteses, se sobressai, tornando-se mais forte e resistente. Contrário de algo frágil, que precisa ser manuseado com cautela, se não o mesmo se parte, como uma taça de cristal, por exemplo.

Um exemplo de Antifragilidade que podemos dar é de um como um bombeiro, que precisa enfrentar as chamas, a fumaça tóxica e seus próprios medos para salvar a vida de pessoas desconhecidas. A cada vitória obitida ao cumprir seu dever e sobreviver a tais situações complicadas,  fato de continuar realizando este ato, o torna cada vez melhor, mais forte, mais corajoso e mais AntiFrágil para encarar de frente este perigo.

Mas então, qual é a diferença entre Antifragilidade e Resiliência?

Em seu livro homônimo a teoria, Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos, Taleb mostra como sua lógica se difere de Resiliência, pois resiliente é aquilo que ao passar por dificuldades, continua o mesmo, não se altera. Algo muito parecido com Robustez.

Por mais comum que seja a confusão, segundo a teoria de Taleb existe uma diferença relevante. O robusto é aquilo que é forte, é firme, e que não é afetado por situações difíceis, não fica fraco e nem mais forte. Temos como exemplo uma bigorna, que recebe várias pancadas com uma marreta, porém elas não alteram o corpo da bigorna, ela continua forte e pesada.

Taleb também cita que o ser antifrágil não teme às consequências, ele as admira, pois é com elas que vamos aprender a melhorar e a nos tornar mais eficazes nosso trabalho. Essa lógica é muito aplicada por Taleb junto com seu conceito dos Cisnes Negros.

Antifrágil e a lógica dos Cisnes Negros

Os Cisnes Negros – segundo Taleb – são raras situações difíceis que não podemos prever, situações que causam consequências, muito conhecido como caos, que com certeza vão nos prejudicar.

E no livro Antifrágil, o professor relaciona suas duas lógicas, de forma que, para crescermos tanto no âmbito pessoal, quanto no profissional, precisamos enfrentar estes Cisnes Negros, não podemos temer suas consequências.

A pessoa e as empresas que fogem a essas situações de risco, nunca estarão aptas a competir no mercado. Um profissional que não se propõem a enfrentar situações adversas, sempre terá dificuldades para tomar decisões, obrigando a ele ou a empresa que gerencia a ficar apática diante de uma crise, o que certamente levará ao colapso.

Porventura, a falta de uma mentalidade antifrágil na direção, pode levar a falência um empreendimento, e talvez assim, criando indivíduos antifrágeis a custa de uma empresa. Na teoria de Taleb, entendemos que quanto mais situações complicadas, quanto mais crises, quanto mais adversidades uma empresa ou uma pessoa superar, mais capacidade de superação ela cria.

Como ser Antifrágil pode ajudar a sua empresa

Uma dica de ouro que Taleb pode dar, e que já mencionamos neste artigo é: Se você tem um plano, não deixe de realizá-lo por haver consequências, sejam grandes ou pequenas, são com essas dificuldades que você vai aprender a ser uma pessoa mais forte e determinada.

Não tenha medo de errar. É como dizem por aí, errar é humano, é errando que se aprende, você pode ser um tipo de pessoa perfeccionista, mas saiba que não há problema em ter um pequeno erro, pois você pode arrumá-lo, antes que se torne um imenso problema.

Não tenha medo de fazer alguns investimentos. Você pode confiar no seu instinto, mas também não tema se você achar que está investindo errado.

Procure saber mais sobre o que está prestes a fazer, faça uma busca mais ampla sobre as ações que pretende investir, se prepare para poder ir em frente com seu plano.

Se você já possui uma empresa firme, faça uma reunião com seus funcionários e colaboradores para se certificar de como as coisas estão indo, não tema respostas negativas.

Saiba com todos os envolvidos como você está se saindo como lider. Dê também um feedback aos seus funcionários para que os mesmos aprendam com seus erros.

Se você acha que tudo está indo muito bem, ou que tudo está saindo muito melhor do que você esperava, desconfie e se prepare, normalmente são nos mercados mais estáveis, que as crises geram mais imnpactos..

Pesquise mais sobre o seu ramo de trabalho. Estude casos existentes sobre crises que seus concorrentes enfrentaram, tome conhecimento sobre o que pode acontecer com sua empresa, você também pode aprender com o descuido de outras pessoas.

Você é uma pessoa Antifrágil?

Quando você planeja algo, você imagina o que de pior pode acontecer?  Ou você imagina que será tudo perfeito? Se escolher a primeira opção, você é antifrágil.

Se preocupar com o que pode acontecer não é sinal de fraqueza, muito menos de fragilidade. É sinal de que você está preparado e determinado a enfrentar os Cisnes Negros que podem vir a frente.

Ter tudo sob controle é bom, mas saber que existem imprevistos te ajudam a ser uma pessoa precavida.

Quer saber mais sobre Antifrágil, Veja o video explicando na prática.

Gostou desse material e quer saber sobre nosso blog. Leia esta matéria sobre Rapport

Deixe uma resposta 0 comentários