Entenda o que são Bolhas Econômicas

Bolhas econômicas surgem no universo dos investimentos. Imagino que você com certeza já ouviu algo relacionado a essa palavra.

É um conceito bem simples, mas que merece a devida atenção e pode te ajudar a identificar e desviar de possíveis bolhas no mercado.

Então vem comigo entender o que é e olhar um pouquinho pro passado, afinal, quem aprende com o passado, não repete os mesmos erros!

O que é uma Bolha

Fonte: Investificar

Uma bolha acontece quando um determinado ativo é comercializado em larga escala a preços muito acima de seu valor intrínseco e eventualmente “a bolha estoura”. Os preços ficam insustentáveis e, repentinamente, despencam.

O comportamento de bolha costuma se relacionar com o efeito manada, que você pode ler mais em nosso post sobre o assunto clicando aqui.

Mas que, em um rápido resumo, diz respeito a tendência de acompanhar comportamentos em grupo, mesmo que de maneira irracional.

Portanto, a compra acaba superestimando o real valor do ativo, o que não corresponde às capacidades de gerar lucro da empresa.

Como Surgem as Bolhas

Com um tom de novidade, alguma coisa faz um ativo ficar extremamente interessante. Porém, o processo começa de maneira bem suave.

Novas pessoas começam a descobrir tal novidade e, consequentemente, a se interessarem nos ativos.

A ideia de comprar o ativo e vendê-lo no futuro por um preço maior começa a ficar popular e casos de pessoas que conseguiram enriquecer devido ao ativo começar a surgir.

Não existe uma preocupação com os rendimentos da empresa, as ações relacionadas ao ativo são majoritariamente irracionais.

Está bolha já foi criada.

Identificando Bolhas Econômicas

Uma bolha passa essencialmente por 5 estágios. Conhecê-los é a chave para a identificação de uma bolha. Os estágios são:

  • Descolamento
  • Boom
  • Euforia
  • Tomada de Lucro
  • Pânico
Fonte: NewBitcoinUser

1. Descolamento

Nessa primeira fase, o ativo começa a atrair a atenção e subir um pouco seu preço. Na maior parte das vezes estaremos falando de novidades.

Ainda são poucas as pessoas que conhecem o potencial do ativo em questão.

2. Boom

Este é o momento em que o ativo é desejado por todos. Os preços agora disparam.

As pessoas começam a ter medo de ficar de fora do negócio e o efeito manada atinge seu ápice.

3. Euforia

A curva de crescimento se concretiza e a expectativa de todos é de muitos ganhos.

Alguns alarmes começam a ser soados: estudos podem começar a indicar os riscos e a possibilidade de uma bolha econômica.

4. Tomada de Lucro

Algum investidor muito influente e com boa noção de mercado se dá conta da situação e começa a tomar os lucros vendendo seus ativos.

Outros investidores influentes percebem a jogada e tendem a fazer o mesmo.

A bolha estoura em algum momento. Uma crise financeira pode se instaurar no processo.

5. Pânico

A queda dos preços dos ativos é muito repentina. Os investidores tentam vender os ativos rapidamente.

Isso gera um ciclo vicioso.

Grandes Bolhas Econômicas da História

Mania das Tulipas

Bolhas Econômicas - Mania das Tulipas
Fonte: Finanças Inteligentes

A Bolsa de Valores de Amsterdam estava em alta na Europa no século XVII. Porém, um evento que ficou conhecido como Bolha das Tulipas, ou Mania das Tulipas, foi uma catástrofe para ela.

Vindas de Constantinopla, as Tulipas rapidamente conquistaram as pessoas da região da atual Holanda. As pessoas começaram a comprar e revender as tulipas, criando até mesmo uma espécie de vale-tulipa para as comercializações.

O preço, naturalmente, começou a subir e as tulipas se tornaram um sinônimo de riqueza.

Até um ponto em que os preços estavam tão altos, que o negócio se tornou insustentável. Os preços despencaram. As tulipas eram uma bolha.

Bolha nos Mares do Sul

Bolhas Econômicas - Companhia dos Mares do Sul
Fonte: Wikipédia

No início do século XVIII, na Inglaterra, a Companhia dos Mares do Sul dominava o comércio com as colônias espanholas na América Latina.

A própria empresa, inclusive, espalhava boatos sobre as coisas inacreditáveis com que se deparavam em suas expedições.

Assim, suas ações dispararam e o parlamento inglês a ofereceu uma uma grande linha de crédito para o desenvolvimento comercial.

Porém, a euforia se espalhou no popular e uma bolha se instaurou, afinal, não havia como corresponder às altíssimas especulações.

Os preços despencaram, bancos faliram e a economia desmoronou.

Crise de 1929

Bolhas Econômicas - Crise 1929
Fonte: Toda Matéria

Essa aqui você provavelmente já ouviu falar.

Também conhecida como A Grande Depressão, a crise de 1929 nasce com a euforia do crescimento dos EUA no pós-primeira guerra.

O consumismo exagerado e desenfreado se apoiava na expansão do crédito no país, que não era regulamentado.

A bolha de falsa prosperidade quebra a Bolsa de Nova Iorque, colocando o país em uma tremenda crise financeira.

Crise de 2008

Bolhas Econômicas - Crise 2008
Fonte: InfoEscola

Na mais recente das citadas aqui, a crise de 2008 surge por conta de uma bolha no mercado imobiliário americano.

Os valores imobiliários sobem muito e não são acompanhados pela renda das pessoas.

Tudo aconteceu porque bancos começaram a oferecer boas linhas de crédito para compra de imóveis, mesmo se não comprovassem que poderiam pagar pelo crédito, o que valorizou o mercado.

Os preços subiram demais e não correspondiam à realidade das pessoas.

Uma bolha se instaurou e uma enorme crise abalou o mundo.

Conclusão

Bolhas econômicas são extremamente perigosas para a saúde financeira mundial, isso é um fato. E não há muito o que possamos fazer individualmente.

Mas em termos de investimentos, devemos ser investidores conscientes, evitando seguir comportamentos de manada e buscarmos identificar possíveis bolhas econômicas antes de irmos em alguma moda do mercado.


Deixe aí nos comentários o que achou! E mais: você já ficou com medo de seguir uma tendência por achar que era uma bolha econômica? Conta pra gente.

E me siga nas redes sociais: InstagramLinkedinFacebookTwitter .

Deixe uma resposta 0 comentários