Como definir metas para a empresa sem errar? Descubra!

Entender como definir metas é um grande passo para fazer gestão, seja da sua carreira, negócio ou mesmo na vida pessoal. Ao mesmo tempo que é importante traçar metas ousadas, é necessário que elas sejam alcançáveis e não mirabolantes. Mas como dosar essa decisão?

É sobre esse assunto tão urgente que vamos falar neste artigo: a importância de definir metas. Além disso, temos 5 dicas de ouro para ajudar você no domínio desse processo. Continue conosco e fique por dentro das melhores práticas!

Por que é preciso determinar metas?

As metas são importantes para acompanhar o crescimento da organização. Ao saber qual é a direção desejada fica mais simples medir o quanto o desempenho está ou não sendo satisfatório. As metas também mantém o propósito da empresa vivo. Lembre-se de que elas são fragmentos do grande objetivo.

A verdade é que mesmo que você tenha objetivos de longo prazo, as metas são os passos menores que a empresa avança para chegar lá. Por isso elas são tão importantes, pois servem de indicador. Metas estão diretamente relacionadas ao tempo, por isso, você deve quantificar os passos alçados.

Como definir metas factíveis?

Há um enorme erro no que diz respeito à gestão: a confusão entre metas ousadas e metas impossíveis. É preciso estruturar o processo da definição de metas, pois alçar objetivos em tempos inalcançáveis só vai desgastar a equipe e posicionar mal a empresa no mercado. 

Imagine que a meta é dobrar os lucros em 3 anos. Quais ações são necessárias para conseguir esse feito? Em quais processos elas implicam? Diante disso, qual é a perspectiva para daqui a 1 ano e meio? E a expectativa para daqui a 3 meses?

Ao ter esse direcionamento, é mais simples prever cenários e saber se a organização está indo para o lugar certo. É fundamental que o objetivo maior seja quebrado em panoramas menores. Assim, a gestão tem chance de corrigir e ajustar o que for necessário. 

Dessa forma, fica praticamente impossível não detectar a incompatibilidade das metas com a realidade. Além disso, fica atento aos 5 passos a seguir!

Diagnóstico da organização

O primeiro passo imprescindível para não definir metas impossíveis, mas também não ficar na zona de conforto é: faça um diagnóstico da situação atual. Quais são seus resultados atualmente? Como anda a produção? Quais recursos são necessários para chegar ao ponto X ou Y? É viável?

Você pode e deve contar com ajuda de um agente externo para isso, buscando, por exemplo, por uma consultoria especializada. A empresa precisa prever cenários e analisar com cuidado a vivência atual. Dessa forma, a gestão consegue estabelecer parâmetros de esforços, levantando a viabilidade e o grau de dificuldade de cada ação.

Mapeamento de processos

Feito o diagnóstico, passando para a parte mais prática. Estamos falando de mapear procedimentos. Principalmente quando a meta é macro, ou seja, envolve o resultado final gerado pela empresa, cada setor faz a diferença em seu desempenho.

Sendo assim, é preciso alinhar o trabalho necessário às expectativas. Uma vez que as metas são propostas, é preciso também criar condições para que a performance alcance a expectativa. 

O mapeamento colabora para o controle. Ao ter uma padronização, fica mais simples perceber quando algo não saiu como esperado e, consequentemente, elencar possíveis soluções para o problema encontrado.

Indicadores de desempenho

Os indicadores servem de direcionamento para as análises de resultados. A cada ação determinada, o mapeamento colabora para o controle. Assim, é necessário também estabelecer métricas. Quais são os pontos que traduzem o que você precisa medir?

Digamos que o objetivo, por exemplo, é diminuir a rotatividade de colaboradores, a fim de reestruturar o trabalho do RH. O turnover, nesse caso, é uma medição certeira para obter as informações que você precisa.

No caso de quem alça metas relacionadas ao desempenho comercial, dados como custo e aquisição por cliente, ticket médio etc., são fundamentais. Lembre-se de que a contabilidade é uma grande parceira nesse sentido, pois ela dá interpretação aos dados financeiros.

Envolvimento da equipe

A linha de frente, bem como as lideranças da organização devem participar do processo de definição de metas. Mesmo que a tomada de decisão da empresa seja bastante centralizada, não há motivo para deixar de fora quem vai, de fato, executar as tarefas que trazem o resultado esperado.

Na verdade, quem conhece o dia a dia do negócio, em suas fases mais operacionais, também tem grande poder informativo. Abra canais de comunicação e ouça atentamente os relatos sobre os desafios enfrentados cotidianamente e propostas de melhoria na operação. Além disso, cada um precisa ter noção de sua função no cumprimento da meta.

Alinhamento da estratégia

Planos de ação e objetivos devidamente comunicados à equipe de trabalho, é hora de ressaltar que nada precisa ser definitivo. É importante acompanhar todo o desempenho justamente para saber quando ajustes são necessários. Além disso, engessar a visão não dá espaço para aproveitar oportunidades que podem surgir.

Dito isso, todas as decisões devem ser pautadas no planejamento estratégico, ou seja, a meta deve conversar com as diretrizes estratégicas e propósito da empresa. Sendo assim, ao pensar sobre como definir metas, apoie todo o raciocínio na estratégia, vendo qual é o grau de colaboração desse processo num contexto maior.

E você, qual processo adota para definir metas? Comente este post e conte para a gente!

Deixe uma resposta 0 comentários